sábado, 6 de novembro de 2010

Vegetarianos recebem Paul McCartney com outdoors em Porto Alegre/RS

06-Nov-2010

Paul McCartney já pediu várias vezes que as pessoas deixassem de comer carne para salvar o mundo. Na cerimônia do Globo de Ouro deste ano, o beatle distribuiu aos participantes um vídeo do Peta chamado Glass Walls (Parede de Vidro), no qual exorta o mundo a virar vegetariano. Segundo a coluna da Mônica Bergamo na Folha, Macca até ofereceu ao apresentador Zeca Camargo lanches vegetarianos durante a entrevista que concedeu ao Fantástico.

Não haveria melhor porta-voz no momento para espalhar a mensagem vegetariana em Porto Alegre. Pensando nisso, o Grupo pela Abolição do Especismo e a Sociedade Vegetariana do RS deram boas-vindas ao astro com três outdoors espalhados na cidade – um na Correia Lima, no morro Santa Tereza, outro na Cristiano Fischer com a Ipiranga e um último na Voluntários da Pátria com Ramiro Barcelos.
E aí, beatlemaníacos, vão seguir Sir Paul nesta empreitada?

O outdoor:

O vídeo Glass Walls

http://wp.clicrbs.com.br/blogarpuro/2010/11/06/vegetarianos-recebem-paul-mccartney-com-outdoors/

Internauta denuncia abandono de animal em Laguna, no Litoral Sul de Santa Catarina

Noticias - ANIMAIS - BRASIL
06-Nov-2010

Cavalo estaria agonizando em um terreno baldio da cidade

Internauta denunciou descaso das autoridades com o cavalo - Foto:Alencar Loch
Internauta denunciou descaso das autoridades com o cavalo - Foto:Alencar Loch
Um animal estaria abandonado e agonizando em um terreno baldio de Laguna, no Litoral Sul de Santa Catarina. A denúncia é do internauta Alencar Loch, que fotografou o estado do animal.

Segundo o internauta, ele teria falado com a Polícia Militar para conseguir o contato da Polícia Ambiental para conseguir um atendimento para o animal, mas teria sido informado de que só a prefeitura poderia tomar uma atitude.

Procurada pelo diario.com.br, a PM explicou que o procedimento está correto que não dispõe de equipamentos para retirar o animal e nem lugar para colocá-lo.

Ainda segundo a PM nesse tipo de situação um veterinário da prefeitura é contatado para cuidar do animal e providenciar sua remoção.

Contraponto

O veterinário, que normalmente atende este tipo de chamado, não foi encontrado.

Sobre a Polícia Ambiental a PM explicou que ela só é acionada em casos que envolvem envolvem animais silvestres.

http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&section=Geral&newsID=a3100920.htm

Milhares de macacos importados para Inglaterra para experiências laboratoriais

Noticias - ANIMAIS - MUNDO
06-Nov-2010

Foto: EPA
Foto: EPA

Milhares de macacos estão a ser importados para laboratórios ingleses, apesar de ser legalmente proibido desde 1997, acusam defensores dos direitos dos animais, ouvidos pelo Telegraph. O comércio de primatas subsiste porquea proibição não contempla as crias de primatas capturados em estado selvagem, explica um responsável da União Britânica para a Abolição da Vivissecção (BUAV, sigla em inglês). Entre 2008 e 2009, cerca de cinco mil primatas foram levados para Inglaterra para serem utilizados em experiência científicas e do ano passado até esta data, foram importados cerca de dois mil, tudo por causa dessa brecha na lei, acusa a mesma associação.

Os número foram revelados pela ministra dos Assuntos Internos, Lynne Featherstone, ao Parlamento, onde o assunto foi já discutido. A BUAV diz ter provas do sofrimento extremo a que os animais são sujeitos nos laboratórios. Uma investigação feita este ano nas ilhas Maurícias revelou que os macacos são mantidos em cativeiro feridos e com os membros partidos.

Sarah Kite, responsável da BUAV pelos projectos especiais, disse ao Telegraph: “Os cidadãos ingleses estão a ser enganados quando são levados a acreditar que o Governo tomou medidas para evitar o uso de animais em experiências científicas, pois a realidade é completamente diferente. Autorizando a importação de crias nascidas de primatas em estado selvagem, o Reino Unido está a fomentar um comércio cruel e desnecessário que é moralmente inaceitável."

http://jn.sapo.pt/blogs/osbichos/archive/2010/11/06/milhares-de-macacos-importados-para-inglaterra-para-experi-234-ncias-laboratoriais.aspx

Operação do Ibama liberta 24 arraias apreendidas no sul do Pará

06-Nov-2010

Arraias são devolvidas ao Rio Xingu, no sul do Pará - Foto: Divulgação

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) devolveu ao Rio Xingu, em São Félix do Xingu - no sul do Pará -, na manhã deste sábado, 24 arraias leopoldi (Potamotrygon leopoldi), que foram apreendidas durante a Operação Guardiões da Amazônia - Goianos IV, organizada pelo Ibama.

Na sexta-feira, segundo informou a assessoria, os fiscais da Operação encontraram os animais nos tanques de uma exportadora de peixes ornamentais amazônicos, localizada às margens do Xingu. Ainda de acordo com a assessoria, a empresa possuía a licença ambiental da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), que dá direito a negociar 192 arraias ao ano. No entanto, a entidade não comprovou a origem dos bichos, conforme exige a lei ambiental, e foi multada em R$ 10,4 mil reais, além de perder os peixes.

As arraias leopoldi foram vendidas irregularmente à firma de exportação por cerca de R$250 reais a unidade pelos pescadores locais. Elas seriam enviadas à Europa, onde poderiam ser negociadas por US$ 3 mil cada.

A Operação é realizada desde o dia 21 de outubro em São Félix do Xingu. Na última quarta-feira, fiscais do Ibama apreenderam um outro carregamento de peixes ornamentais amazônicos, com 27 arraias leopoldi e 980 acaris, no centro da cidade de São Félix do Xingu, também no sul do Pará.

http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI4777140-EI8139,00-Operacao+do+Ibama+apreende+arraias+no+sul+do+Para.html

Laia mais

Ibama apreende 27 arraias e 980 acaris que seguiam do Pará para a Europa

Animais mutilados são deixados em frente a Cemitério no interior de Santa Cruz/RS

Noticias - ANIMAIS - BRASIL
06-Nov-2010

A Brigada Militar foi chamado ao local para verificar a situação - Foto: Ag. Assmann/Rodrigo Assmann
A Brigada Militar foi chamado ao local para verificar a situação - Foto: Ag. Assmann/Rodrigo Assmann

Um possível ritual satânico assustou os moradores de Entrada Linha 7, no interior de Santa Cruz, neste sábado, 06. Ao amanhecer, foram encontrados diversos animais mutilados em frente ao cemitério da localidade. Cerca de 13 galinhas e quatro cabritos tiveram os pés, a cabeça e, aparentemente, a genitalia cortados.

Ninguém viu movimentação estranha no local durante a noite, mas, pelas circunstâncias da cena, os moradores acreditam se tratar de magia negra. Pelas circunstâncias, deve ser um ritual de oferenda.

A Brigada Militar foi chamada ao local e registrou a ocorrência. O caso será passado para a Polícia Civil.

Com informações do repórter Ronaldo Falkenback/Rádio Gazeta AM.
http://www.gaz.com.br/noticia/245823-animais_mutilados_sao_deixados_em_frente_a_cemiterio_no_interior_de_santa_cruz.html

Colombianos renunciam aos pratos à base de tartaruga para salvar a espécie

Noticias - ANIMAIS - MUNDO
06-Nov-2010

No norte da Colômbia, os nativos estão a renunciar aos seus pratos preferidos, à base de tartaruga, para salvar esta espécie em vias de extinção, sob o risco de trairem os seus costumes ancestrais, de acordo com a AFP. “É uma luta contra a cultura dos meus ancestrais. Alimentava-me muito de tartaruga e criei os meus filhos com o dinheiro que fazia a caçar tartarugas. Mas elas são cada vez mais raras. É altura de as salvarmos para nos salvamos a nós próprios”, contou Olegario Choles.

Chole, 72 anos, é um dos dirigentes de étnia wayuu, uma comunidade composta por pescadores e pastores oriundos da Venezuela e da Colômbia. Apoiado na sua pequena embarcação, observa a libertação de cerca de 220 tartarugas comuns por um grupo de jovens e crianças. De forma a conseguir com que as tartarugas bebés consigam chegar ao mar, Olegari Choles passou meses a negociar com os proprietários de restaurantes, cozinheiros e caçadores a retirarem dos menus os pratos à base de carne e de ovos de tartaruga, alegando que o seu consumo é proibido por diversas convenções internacionais.

Os voluntários nomeados pela comunidade percorrem as praias da região da península de Guajira, no extremo norte da América do Sul, para inspeccionar os ninhos e os proteger dos predadores naturais, enquanto outros visitam restaurantes e hotéis que oferecem sopa de tartaruga aos turistas para convencê-los a não continuarem a fazê-lo.

De acordo com Lina Báez, especialista em ambiente da companhia mineira Cerrejón (fortemente criticada por diversas ONG devido á sua mina de carvão a céu aberto), que patrocina esta campanha, “os Wayuu alimentam-se à base dos animais da região e alterar esses hábitos é uma missão quase impossível”. Para convencê-los, a empresa paga aos caçadores o mesmo que ganharia com a venda das tartarugas aos restaurantes. A Cerrejón financia ainda programas de apoio às escolas e bibliotecas locais.

Para alcançar estes objetivos, a campanha tem como alvos principais as crianças, para que estas possam sensibilizar os adultos para a causa. Consequentemente, “os antigos caçadores e os seus filhos têm vindo a preocupar-se com a protecção dos ninhos e em facilitar a viagem das tartarugas bebé até ao mar”, sublinha Maria Claudia Diazgranados, coordenadora do programa marinho internacional, uma das ONG envolvidas no projecto. Há ainda muito trabalho a desenvolver, pois além da carne, os nativos utilizam as carapaças das tartarugas para fabricar objectos artesanais e colares.

Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, seis das sete espécies de tartarugas existentes no planeta estão em risco de extinção.

http://jn.sapo.pt/blogs/osbichos/archive/2010/11/06/colombianos-renunciam-aos-pratos-224-base-de-tartaruga-para-salvar-a-esp-233-cie.aspx

Polêmica trava compra de girafas em zoológico gaúcho

Noticias - ANIMAIS - BRASIL
06-Nov-2010

Ativistas mobilizam público contra importação de animais da África.
Especialistas defendem papel do cativeiro para preservar espécies.

Luciana Ribeiro
Do G1, em São Paulo

Desde a morte da última girafa do zoológico de Sapucaia do Sul (RS), em agosto, a vontade da instituição de repor o acervo tem motivado a reação de diversas organizações gaúchas de defesa dos animais. Foram tantos e-mails, cartas, abaixo-assinados e manifestações públicas contrárias à importação de novos exemplares da África que a administração do zoo decidiu deixar a resolução para a nova gestão, que assumirá a entidade em 2011 junto com o novo governo do estado. Especialistas, porém, consideram que ambientalistas estão equivocados.

Ativistas de cerca de dez organizações de Porto Alegre têm se dedicado a divulgar a causa pela internet e em alguns eventos públicos, como a Feira do Livro e o show do ex-Beatle vegetariano Paul McCartney, que acontece neste domingo (7) no Estádio Beira-Rio. O carro-chefe do movimento coletivo tem sido o slogan “Lugar de Animal é em seu Habitat Natural”, com um site que anuncia eventos, notícias e abriga uma petição on-line crescente, que já ultrapassou 2.100 assinaturas.


Ativista divulga cartaz em parque de Porto Alegre
Ativista divulga cartaz em parque de Porto Alegre - (Foto: Divulgação/Márcio de Almeida Bueno)

(Foto: Divulgação/Márcio de Almeida Bueno)

A mobilização que começou com as girafas de Sapucaia do Sul foi ampliada para uma proposta geral de mudança do conceito e vocação dos zoológicos. O ativista Fernando Schell Pereira, representante do site Lugar de animal e participante do coletivo Vanguarda Abolicionista, defende que os zoológicos se tornem santuários voltados para animais em risco (vítimas do tráfico, abandono e maus-tratos) e tenham visitação restrita a profissionais. “Estamos propondo uma troca de paradigmas e a reação das pessoas tem sido surpreendente, elas estão parando para pensar que a girafa é um animal da savana e devia ficar na África”, explica Fernando.

O grupo gaúcho tem organizado, semanalmente, atividades em parques e eventos de Porto Alegre para colher assinaturas e conscientizar o público. Eles pretendiam entregar os abaixo-assinados protocolados para a direção da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul na segunda-feira (8). Mas, como o órgão decidiu paralisar o processo de importação das girafas e deixar a decisão para os próximos gestores, os ativistas tentam articular um encontro com o governador eleito Tarso Genro para oficializar a reivindicação.

Fernando Schell antecipa que as ações tendem a crescer, inclusive aproveitando a visibilidade proporcionada pela Copa do Mundo em 2014. “Nós temos a intenção de continuar fazendo o movimento, que tem dado muito certo, para trazer à tona a discussão com a sociedade sobre a relação entre os zoológicos e os seres humanos”, disse.

Crítica

Esta semana, veterinários e a Sociedade de Zoológicos do Brasil (SZB) se manifestaram em defesa dos parques. O presidente da SZB e diretor do Zoológico Municipal de Bauru (SP), Luiz Pires, considera que a polêmica foi originada a partir de argumentos equivocados. “A gente vê alguns mais apaixonados dizendo que as girafas vão sair da mata, há muito tempo os zoos deixaram de ter esse papel. São animais que já vivem em cativeiro, nascidos em criadouros que participam de programas de preservação das espécies”, explica Pires.

De acordo com a SZB, o Brasil é signatário de um tratado internacional de trânsito de animais que exige provas do nascimento em cativeiro para movimentar indivíduos entre os continentes. Segundo Pires, “o que o zoo de Sapucaia está se propondo é participar dos esforços internacionais de preservação das espécies de vida livre. A gente pode citar o caso que ocorreu com o mico-leão-dourado, que teve a população reduzida para menos de 600 indivíduos no país, mas a partir de um trabalho desenvolvido para aproveitar animais nascidos em cativeiro para repovoar a Mata Atlântica, hoje a população em vida livre está quase autossustentável”, exemplifica.

Pivôs da polêmica

Fifi e Doroteia morreram aos 25 anos e 15 anos, respectivamente (Foto: Divulgação/FZB-RS)
Fifi e Doroteia morreram aos 25 anos e 15 anos, respectivamente (Foto: Divulgação/FZB-RS)

As girafas Fifi e Doroteia, que morreram este ano em Sapucaia do Sul, são remanescentes da época que o zoológico chegou a ter nove indivíduos, sete deles nascidos lá mesmo. A primeira girafa morreu em julho, com 25 anos, idade acima da média para animais de cativeiro. A segunda morreu em agosto, aos 15 anos, de complicação de uma gripe que teria sido agravada pela solidão causada pela ausência da companheira.

A direção da unidade alega que, antes mesmo da morte das girafas, já havia manifestado interesse em comprar três girafas de um grupo de nove que estaria sendo importado da África para o Brasil. Com as manifestações contrárias, entretanto, o processo foi interrompido para que haja uma discussão técnica sobre a questão, que vai embasar uma decisão administrativa subsequente. O veredito, contudo, virá do próximo governo.

Em nota oficial, a entidade divulga que a reunião com os especialistas do parque está prevista para os próximos dias. “Entretanto, cabe salientar que, algumas manifestações favoráveis, quanto à permanência de animais exóticos em zoológicos, vêm ocorrendo, o que torna necessária uma avaliação criteriosa, baseada em elementos técnicos e não apenas emocionais”, diz o texto.

http://g1.globo.com/brasil/noticia/2010/11/polemica-trava-compra-de-girafas-em-zoologico-gaucho.html

Saiba mais

...irc;: distribuição de materiais, coleta de assinaturas contra a importação de girafas, divulgação do veganismo Onde: Em frente ao estádio Beira-Rio, na...
05-Nov-2010


...quo; esteve fazendo um mutirão de recolhimento de assinaturas contra a importação de girafas. Integrantes de ONGs e grupos de proteção aos animais estiveram no Briqu...
25-Out-2010


...sinaturas em um abaixo-assinado. A idéia é impedir a importação de três girafas da África, para substituir as últimas girafas que morreram no Zool&oacut...
25-Out-2010


...ndo o trânsito de pedestres, houve recolhimento de assinaturas contra a importação de girafas para o Zoológico de Sapucaia - cidade vizinha a São Leopoldo – em ...
04-Out-2010


Manifestantes também colheram assinaturas contra a importação de girafas para o Zoológico de Sapucaia - cidade vizinha a São Leopoldo – em substituiç&at
03-Out-2010

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Sapo de LEGO é dissecado para concurso

Noticias - ANIMAIS - MUNDO
05-Nov-2010
Por Nátaly Dauer

Chega de aulas de laboratório crueis, onde alunos abrem o corpinho de animais inocentes, mesmo que em nome da ciência. Para quê tudo isso em um mundo onde existe LEGO?

Sapinho aberto para ser apreciado. Crédito: Geeky Gadgets.
Sapinho aberto para ser apreciado. Crédito: Geeky Gadgets.
As pecinhas plásticas do “brinquedo” já foram utilizadas na construção de veículos diversos, prédios, robôs e muito mais, mas dessa vez, serviram para a recriação perfeita de um sapo dissecado. O bichinho está muito bem representado e nenhum outro tipo de material foi usado no trabalho.

A melhor parte é poder ver por dentro de um sapo sem ter que usar um animal de verdade – nada correto e um tanto desagradável. E os criadores foram caprichosos: até a mesa e os instrumentos “cirúrgicos” são feitos de LEGO, aponta o site Geeky Gadgets.

A obra foi feita por Dave Kaleta especialmente para as a categoria “LEGO Anatomy” das “olimpíadas” do site MOC Pages, especializado em criações com LEGO, uma competição que envolve meteoros, naves steampunks, autorretratos e muito mais.

http://ndauer.geek.com.br/posts/14181-sapo-de-lego-e-dissecado-para-concurso

Britânico vai à prisão por colocar gato no micro-ondas

Noticias - ANIMAIS - MUNDO
05-Nov-2010
BBC

Sherlock admitiu culpa no caso

Um britânico filmado por celular colocando o gato de seu sobrinho em um forno micro-ondas, uma secadora de roupas e um freezer foi condenado a 126 dias de prisão.

Colin Sherlock, 44, de Newton Abbot, na região inglesa de Devon, admitiu ter causado sofrimento desnecessário a um animal.

A sentença poderia ter sido maior se o acusado não tivesse admitido o crime. A corte o proibiu também de possuir um animal por dez anos.

Ele foi preso após Sherlock e dois menores de idade terem enviado o vídeo para conhecidos. Uma das pessoas que recebeu as imagens ficou chocada e entrou em contato com a polícia.

Detergente

O incidente aconteceu em maio. Sherlock agarrou o gato preto e branco e o colocou no micro-ondas por oito segundos.

Na sequência, ele o coloca em uma secadora que gira por sete segundos. O gato é então colocado em um congelador por outros 20 segundos.

Quando o freezer é aberto, o animal não consegue se mover rapidamente e é jogado por Sherlock em uma tigela com água e detergente.

O promotor do caso, John Wyatt, disse que, após o ocorrido, o gato tornou-se 'extremamente nervoso e sofreu um sério trauma psicológico'.

O advogado de Sherlock disse que este alega que bebeu antes do incidente e estaria 'envergonhado' do que fez.

O gato ainda encontra-se recebendo cuidados antes de ser reintegrado a uma família.

http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2010/11/05/britanico-vai-prisao-por-colocar-gato-no-micro-ondas-922956979.asp

MP pede indiciamento por homicídio de organizador do rodeio

Noticias - ANIMAIS - BRASIL
05-Nov-2010

Dois engenheiros também estão no pedido; tragédia deixou 4 mortos em 2009

O Ministério Público de Jaguariúna pediu à Polícia Civil o indiciamento por homicídio culposo (sem intenção e matar) e lesão corporal culposa do organizador do Jaguariúna Rodeo Festival, Valdomiro Poliselli Junior, e dos engenheiros Flávio Paoliello Machado de Souza, que elaborou o projeto de proteção e combate a incêndio e pânico, e Maria Carolina da Silva Winkler, responsável pela montagem das estruturas. O promotor Leonardo Romano Soares acredita que eles têm responsabilidade na morte de quatro jovens durante o rodeio que acabou em tragédia, em maio de 2009.

A solicitação do MP foi feita na quarta-feira (3), mas divulgada pela assessoria de imprensa do órgão na tarde desta sexta-feira (5). Outras 11 pessoas ficaram feridas no tumulto que aconteceu na arena de shows. A promotoria também aponta como responsáveis pela tragédia Ivair Nunes Pereira, André Luiz Bicudo e Lucimara Rossi de Godoy, oficiais do Corpo de Bombeiros que concederam o auto de vistoria para a realização do evento, e de seguranças, ainda não identificados.

Além do indiciamento dos três, o MP de Jaguariúna também requereu que a polícia colha os depoimentos da oficial do Corpo de Bombeiros Lucimara Rossi de Godoy. Ela é a única dos três oficiais ainda não ouvidos no inquérito policial. Além disso, solicitou o depoimento do responsável pela segurança do evento sobre a participação dos profissionais que trabalharam na segurança e de vítimas, para representação criminal contra os indiciados e para obtenção de provas das lesões corporais sofridas.

Na manifestação, de 26 páginas, também foi requerida a remessa de cópia do inquérito à Justiça Militar e à Corregedoria da Polícia Milita,r para apuração de crime militar (homicídio culposo e lesão corporal culposa) e falta funcional eventualmente praticada pelos oficiais do Corpo de Bombeiros.

Somente depois de receber o que foi solicitado à Polícia Civil o Ministério Público poderá apresentar a acusação formal à Justiça contra os responsáveis pela tragédia.

Em nota, Valdomiro Poliselli Júnior disse que vai aguardar o posicionamento da juíza da 2ª Vara da Comarca de Jaguariúna, Ana Paula Colabono Arias, "visto que o pedido de indiciamento feito pelo Ministério Público apóia-se em dados ainda não esclarecidos".

A equipe da EPTV entrou em contato com o Corpo de Bombeiros, mas até às 18h não teve retorno. As outras pessoas citadas na solicitação do MP ainda não foram localizadas.

Tragédia

A tragédia no Rodeio de Jaguariúna aconteceu na madrugada do dia 23 de maio de 2009. Quatro pessoas morreram e 11 ficaram feridas. As vítimas fatais foram pisoteadas durante uma confusão em um dos corredores de acesso à arena, que ficava embaixo da arquibancada, em frente ao palco.

Imagens feitas por um cinegrafista amador mostram a entrada tumultuada para o show. No sentido contrário, algumas pessoas tentam sair do recinto pelo mesmo local.

Por causa das mortes, a Justiça determinou o cancelamento do evento, que teria shows no sábado e no domingo seguintes. O inquérito policial foi aberto no dia 25 de maio de 2009.

O Ministério Público de Jaguariúna recebeu no dia 23 de junho deste ano o inquérito. O relatório enviado pela Polícia Civil estava baseado em depoimentos e na perícia feita pelo Instituto de Criminalística na época. O laudo divulgado em maio de 2010 aponta várias irregularidades na organização da festa, entre elas superlotação, falta de preparo dos seguranças e deficiência nas saídas de emergência.

Depois da análise do inquérito, o promotor Leonardo Romano Soares constatou que faltavam alguns depoimentos e por isso reencaminhou o documento com as solicitações à polícia.

http://eptv.globo.com/noticias/NOT,0,0,322643,MP+pede+indiciamento+por+homicidio+de+organizador+do+rodeio.aspx

Leia mais

10-Mai-2010
2. TJ derruba liminar e libera rodeio em Jaguariúna
(Arquivado/Noticias/ANIMAIS - BRASIL)
06-Mai-2010
3. Jaguariuna/SP: Justiça mantém suspensão de rodeio
(Arquivado/Noticias/ANIMAIS - BRASIL)
05-Mai-2010
05-Mai-2010
5. MP consegue liminar que barra rodeio de Jaguariúna/SP
(Arquivado/Noticias/ANIMAIS - BRASIL)
03-Mai-2010
02-Mai-2010

Paul McCartney em Porto Alegre: convocação para mutirão

Noticias - ANIMAIS - BRASIL
05-Nov-2010

A Vanguarda Abolicionista convida seus apoiadores e integrantes de demais ONGs para mutirão na abertura do show de Paul McCartney, em Porto Alegre.O grupo pretende, ao longo do domingo, distribuir materiais e divulgar o veganismo em meio o gigantesco público que estará presente no entorno do Beira-Rio, aguardando nas filas a abertura dos portões.

O roqueiro é conhecido por estar à frente de diversas campanhas de proteção aos animais do PETA, e sobre o não-consumo de carne. Recentemente, o ex-beatle uniu cantores e celebridades para seu projeto Segunda Sem Carne.

Serviço

O quê: distribuição de materiais, coleta de assinaturas contra a importação de girafas, divulgação do veganismo

Onde: Em frente ao estádio Beira-Rio, na avenida Padre Cacique

Quando: Dia 7 de novembro, domingo, a partir das 14h.

A ação acontece mesmo em caso de chuva. Gentileza confirmar presença ou ausência.

www.vanguardaabolicionista.com.br

Criminosos que queimaram e mataram cachorrinha ficam impunes

Noticias - ANIMAIS - BRASIL
05-Nov-2010

Promotor diz que, enquanto agressores não forem localizados, não há a quem punir

Sâmia Frantz

Foram cinco dias de luta, mas a cadela Vida, que antes se chamava Pedra, não resistiu. O animal, encontrado no último fim de semana, em Palhoça, com 85% do corpo queimado, morreu quinta-feira. Mas os criminosos ficarão impunes, pelo menos, por enquanto.

O caso de Vida revoltou representantes de órgãos que atuam em defesa dos animais do mundo inteiro. Milhares de e-mails têm circulado pela internet para divulgar a história e pedir punição aos envolvidos.

A notícia chegou até a sede da Unesco — orgão mundial que cuida de educação, ciência e cultura —, que já teria providenciado o envio de advogados à região, segundo a médica veterinária Daniele Ody Spaniol, que cuidava da cadela.

O envio dos e-mails também lotou a caixa do Ministério Público de Palhoça. Porém, o promotor ambiental José Cardoso afirma que, por enquanto, não há o que fazer.

— É como um crime: se não se sabe quem foi, não temos a quem punir.

Meninos são suspeitos

Os moradores da Barra do Aririú preferem não apontar suspeitos, mas desconfiam de um grupo de meninos que estava próximo ao animal pouco antes do acontecido.

De acordo com a Delegacia de Polícia de Palhoça, ainda não há boletim de ocorrência e nem investigações sobre o caso.

Nenhum dos delegados da cidade foi localizado durante o dia.

Animal chegou a reagir

Segundo Daniele, o tratamento intensivo com pomadas e hidratação chegou a amenizar os ferimentos externos da cadela e ela respondeu muito bem ao tratamento.

Porém, as queimaduras provocaram ferimentos graves internos, o que provavelmente provocou a morte.

Depois que o caso foi veiculado na imprensa, dezenas de pessoas procuraram o local para ajudar na recuperação da cadela. Num caderno, Daniele anotou o nome de 45 pessoas que ligaram, a quem agradece.

http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&section=Geral&newsID=a3099368.htm

Leia mais

Cachorrinha queimada em Palhoça morre

Cachorrinha queimada viva em Palhoça apresenta melhora, mas ainda é grande o risco de morte

Cachorrinha é queimada viva em Palhoça/SC

Livro de Monteiro Lobato é liberado para ser usado em salas de aula

Noticias - ANIMAIS - BRASIL
05-Nov-2010

Algumas frases que aparecem na história "Caçadas de Pedrinho" foram consideradas preconceituosas pelo Conselho Nacional de Educação

Reprodução

'Caçadas de Pedrinho', de Monteiro Lobato

Um clássico da literatura infantil quase foi banido das escolas públicas do país. Algumas frases que aparecem na história "Caçadas de Pedrinho", de Monteiro Lobato, foram consideradas preconceituosas pelo Conselho Nacional de Educação.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, teve que intervir. Ele esclareceu o que a Academia Brasileira de Letras, com politicamente correta, chamou de equívoco. Agora, a reação ao veto foi enorme, e não só da academia. Educadores de todo o país protestaram contra a censura ao livro. Depois do bombardeio, de críticas, o Conselho Nacional de Educação recuou, e o livro "Caçadas de Pedrinho", ainda bem, está novamente liberado.

Monteiro Lobato racista? Um professor da universidade de Brasília achou que sim. Considerou que no livro "Caçadas de Pedrinho" há preconceito racial contra a personagem Tia Anastácia, a empregada negra do Sítio do Pica-Pau Amarelo.

Em um trecho, o autor diz que Tia Anastácia "tem carne preta”. Em outro, afirma "que trepou que nem uma macaca de carvão pelo mastro”.

A Secretaria de Igualdade Racial concordou com a crítica. “As expressões que o livro contém são expressões de um conteúdo fortemente preconceituoso e que precisam de tratamento explicativo na sala de aula, para que não se ofenda a autoestima das crianças e dos leitores”, declara o ministro da Igualdade Racial, Eloi Ferreira de Araujo.

O Conselho Nacional de Educação chegou a recomendar que o MEC deixasse de adotar "Caçadas de Pedrinho" nas escolas públicas. O argumento era que ele desrespeita o critério usado na avaliação dos livros didáticos, de não ter preconceitos ou estereótipos.

A Academia Brasileira de Letras condenou o veto. “A obra do Monteiro Lobato, depois de tantas décadas, sofrer esse tipo de avaliação é completamente equivocada. A academia, na linha das suas convicções democráticas, rejeita qualquer tipo de censura e entendeu a manifestação do conselho como uma forma de censura”, aponta o presidente ABL, Marcos Vinicios Vilaça.

Para o ministro da Educação, Fernando Haddad, não é o caso de tirar o livro das escolas. “Décadas se passaram. Expressões que não eram consideradas ofensivas hoje são. Mas, em se tratando de Monteiro Lobato, de um clássico brasileiro da literatura infantil, nós só temos que contextualizar, advertir e orientar sobretudo o professor sobre como lidar com esse tipo de matéria em sala de aula”, aponta.

Problema resolvido. O livro vai continuar na lista do MEC, mas, a partir de agora, com uma explicação sobre o contexto em que foi escrito. Algo parecido com o que uma edição já traz sobre a caça à onça. A editora deixa claro que a aventura aconteceu em uma época em que a onça pintada não estava ameaçada de extinção, nem os animais silvestres eram protegidos pelo Ibama. (grifo Tribuna Animal)

Não custa lembrar que esse clássico da literatura infantil, "Caçadas de Pedrinho", foi publicado pela primeira vez em 1933.

http://www.vnews.com.br/noticia.php?id=83508


ABL se pronuncia contra censura à obra de Monteiro Lobato

Livro 'Caçadas de Pedrinho' foi apontado como 'racista' por conselho federal

A Academia Brasileira de Letras (ABL) se posicionou contra o parecer emitido pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), que classificou como ‘racista’ a obra Caçadas de Pedrinho, de Monteiro Lobato. O acadêmicos, em plenária realizada na quinta-feira, repudiaram a decisão e disseram que apelarão ao ministro da educação, Fernando Haddad, para que a proibição da obra não entre em vigor.

O parecer foi aprovado por unanimidade pela Câmara de Educação Básica do CNE a partir de denúncia da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial. Publicado em 1933, o livro de Monteiro Lobato, um dos maiores nomes da literatura infantil brasileira, narra as aventuras da turma do Sítio do Pica-Pau Amarelo em busca de uma onça-pintada. Segundo o CNE, os traços racistas da obra estariam na forma como o autor se refere à personagem Tia Anastácia, que é negra, e a alguns animais, como o urubu e macaco.

Segundo a nota emitida pela ABL, “cabe aos professores orientar os alunos no desenvolvimento de uma leitura crítica. Um bom leitor sabe que tia Anastácia encarna a divindade criadora dentro do Sítio do Picapau Amarelo. Se há quem se refira a ela como ex-escrava e negra, é porque essa era a cor dela e essa era a realidade dos afro-descendentes no Brasil dessa época. Não é um insulto, é a triste constatação de uma vergonhosa realidade histórica”.

A ABL sugeriu ainda que, ao invés de proibir as crianças de saber disso, “seria muito melhor que os responsáveis pela educação estimulassem uma leitura crítica por parte dos alunos”. De acordo com os acadêmicos, falta conhecimento da obra por parte dos "professores e formuladores de políticas educacionais". “Então saberiam que esses livros são motivo de orgulho para uma cultura. E que muito poucos personagens de livros infantis pelo mundo afora são dotados da irreverência de Emília ou de sua independência de pensamento. Raros autores estimulam tanto os leitores a pensar por conta própria quanto Lobato, inclusive para discordar dele. Dispensá-lo sumariamente é um desperdício".

http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/abl-pede-que-obra-de-lobato-nao-seja-censurada

Cachorrinha queimada em Palhoça morre

Noticias - ANIMAIS - BRASIL
05-Nov-2010

ImageForam cinco dias de luta, mas a cadela Vida , que antes se chamava Pedra, não sobreviveu. O animal, encontrado no último fim de semana, em Palhoça, com 85% do corpo queimado, morreu na manhã de ontem. O caso de Vida revoltou representantes de órgãos que atuam em defesa dos animais do mundo inteiro. A notícia chegou até a sede internacional da Unesco, que já teria providenciado advogados para investigar o crime na região.

http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a3099083.xml&template=3898.dwt&edition=15834&section=213

Leia mais

Cachorrinha queimada viva em Palhoça apresenta melhora, mas ainda é grande o risco de morte

Cachorrinha é queimada viva em Palhoça/SC

Polícia Ambiental apreende animais e objetos para caça, em Areias/SP

Noticias - ANIMAIS - BRASIL
05-Nov-2010

A apreensão foi em uma fazenda, no bairro Santa Tereza

A Polícia Ambiental de Bananal apreendeu animais e objetos para caça na tarde desta quinta-feira (4). A apreensão foi em uma fazenda, no bairro Santa Tereza, em Areias.

Foram apreendidos: um revólver calibre 38, uma espingarda calibre 28, dois covos de arame, uma motosserra, um alçapão, 16 cartuchos de metal calibre 28 vazios, 41 cartuchos de plástico calibre 32 vazios, 11 cartuchos de plástico calibre 32 carregados, 16 rabos de tatu e 9 patas de tatu.

Além das armas, vários pássaros foram encontrados no local, entre eles cinco da espécie azulão, que está em extinção. Os outros pássaros são: seis trinca ferro e quatro canários da terra. A multa para o animal em extinção (azulão) é de R$ 5 mil por animal.

Um homem se apresentou como funcionário da fazenda e foi levado para a delegacia para prestar depoimento. A multa total é de R$ 30 mil reais (R$ 5 mil para cada animal em extinção e R$ 500 para cada um de outras espécies).

http://www.vnews.com.br/noticia.php?id=83529

Animais fogem de matadouro e invadem ruas em cidade americana

Noticias - ANIMAIS - MUNDO
05-Nov-2010

Mais de cem ovelhas, cabras e até vacas escaparam.
Incidente ocorreu em Lackawanna, no estado de Nova York.

Do G1, em São Paulo

Mais de cem ovelhas, cabras e até vacas escaparam. (Foto: Reprodução)
Mais de cem ovelhas, cabras e até vacas escaparam. (Foto: Reprodução)
Mais de cem ovelhas, cabras e até vacas perambulavam pelas ruas de Lackawanna, no estado de Nova York (EUA), na última terça-feira. Os animais haviam escapado de um matadouro, segundo reportagem da emissora de TV "WIVB".

Os proprietários disseram que não sabem como os animais fugiram. Ninguém ficou ferido, mas, de acordo com a polícia, uma cabra perseguiu um morador, que teve que pular em cima de um carro para escapar do "ataque".

http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2010/11/animais-fogem-de-matadouro-e-invadem-ruas-em-cidade-americana.html

Campinas/SP: Traficantes usam cavalos em favela

Noticias - ANIMAIS - BRASIL
05-Nov-2010

Animais foram escolhidos para fazer o transporte de drogas nas vielas do Morro dos Macacos

Natan Dias
DA AGÊNCIA ANHANGUERA

ImageOs traficantes do Morro dos Macacos, no Jardim Novo Campos Elíseos, região Sudoeste de Campinas, passaram a utilizar cavalos para transportar drogas, para fugas e monitoramento da presença da policiais na favela.

“Para fugir da polícia a gente faz de tudo, né”, disse um “olheiro” do morro, também conhecido como “fogueteiro”. São eles que ficam nas entradas da favela para avisar a chegada da polícia, inclusive soltando rojões.

O rapaz, que pediu para não ser identificado, estava sentado sob uma sombra, ao lado de um gramado, onde dois cavalos pastavam. “Tem mais lá em cima do morro além desses aí.”

De acordo com o capitão Edilson Aparício dos Santos, do 47º Batalhão da Polícia Militar do Interior (BPMi), a geografia do morro e as ruelas apertadas, dificultam a circulação de pessoas e a entrada da polícia para atuar no local.

“A ação em favela já é difícil e no morro, pelo tipo de relevo, somente pessoas ou motos conseguem circular ali. Mas cavalos, eu desconheço. Vou alertar o capitão responsável pela cobertura daquela área”, relatou Santos.

De acordo com moradores do bairro, é comum o roubo de cavalos de um local próximo pelos traficantes.

“Usam para fazer ‘aviãozinho’ (carregar droga), fugir e andar pelo morro. Isso tem mais de ano eu acho. Ali no Santa Lúcia também está cheio de cavalo. O pessoal faz o mesmo. Mas tem gente que usa para trabalhar honestamente também”, contou um morador. Por medo de represália, ninguém quer ser identificado.

O dono de um bar na entrada do bairro contou que não há muita violência, mas é comum ver animais soltos e usuários de droga até mesmo durante o dia sob a sombra de alguma árvore. “Tem mais cavalos lá no alto do morro. A gente usa para fugir, subir o morro e fazer as coisas aí”, contou o “olheiro”.

Captura

A tarefa mais difícil não é a captura desses animais, quando eles fogem para o asfalto e põem motoristas em risco, mas sim os momentos de tensão que passa quem faz esse serviço. “Quando somos chamados, sofremos intimidações e estamos a sorte de todo tipo de ameaças. Dependendo do bairro, quando avisam, sabemos que vamos enfrentar dificuldade não com os animais, mas com os bandidos”, contou uma funcionária do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Campinas.

“Não é uma área rural, mas acontece ali muito roubo de cavalo, até mesmo entre os bandidos. Ficamos sabendo porque conhecemos a realidade do bairro e, quando ladrão rouba cavalo de ladrão, ninguém vai fazer boletim de ocorrência”, comenta a funcionária do CCZ. Segundo ela, bandidos chegaram a invadir a sede do centro para roubar animais. “Capturamos os bichos e, à noite, arrombaram o portão e levaram tudo outra vez. Eles não têm medo de nada, nem da polícia”, relatou. Este ano, o CCZ sofreu nove roubos de animais.

http://cpopular.cosmo.com.br/mostra_noticia.asp?noticia=1714522&area=2020&authent=251256441763220730746635410025